quarta-feira, 7 de junho de 2017

Colóquio de Pesquisas do MIRE foi realizado em 17 de maio


O Colóquio de Pesquisas do MIRE aconteceu na reunião de 17 de maio de 2017. Com 20 participantes (12 presenciais e oito on-line), a mesa, coordenada pelo Ms. Luis Erlin (foto abaixo ao centro), contou com a apresentação e o debate em torno de três pesquisas de integrantes do grupo. 

A primeira apresentação foi o projeto de tese de doutorado por Patrícia Garcia Costa (foto abaixo, ao centro). Ela ingressou no programa de doutorado neste semestre e está formulando o projeto "Novos formadores de opinião: A geração de garotas Youtubers evangélicas e sua influência no processo de decisão dos espectadores". Patrícia Costa ouviu do grupo uma série de sugestões em torno de conceitos e referencial teórico e trajeto metodológico, e o registro da importância do tema frente às transformações na cultura gospel proporcionadas pelas mídias digitais. Veja os slides da apresentação aqui.

O segundo a apresentar foi o Dr. Leandro de Paula (foto abaixo, à dir,). Ele apresentou a tese de doutorado defendida em 2016 na UFRJ com o título "Entre a saúde e o risco: a experiência da fé segundo a mídia secular no Brasil e nos EUA (2001-2013)". Temas como a relação fé e espaço público, a midiatização do conceito de fundamentalismo a partir dos anos 1970 e as agendas positivas e negativas em torno da compreensão do lugar social da religiosidade e das religiões, tais como representadas nas mídias, foram amplamente tratados por Leandro de Paula. Veja os slides da apresentação aqui.



Na terceira apresentação, o Dr. Luis Henrique Marques (foto abaixo, à esq.) expôs o conteúdo do seu estágio pós-doutoral, realizado na Faculdade Cásper Líbero, em 2016, intitulado "Marketing católico: leitura crítica a partir do conceito de midiatização". Com o tema, o grupo discutiu a aceitação e a rejeição do marketing religioso no contexto do Catolicismo Brasileiro e a criação de celebridades clérigas como estratégia de captação de fiéis e venda de produtos. Os slides da apresentação estão aqui.

Foram destacadas na reunião, também, as atividades que envolverão o grupo nos próximos meses:
- XII Eclesiocom. Promoção: Cátedra UNESCO/Metodista em parceria com a PUC-Campinas (sede do evento), 17 de agosto de 2017; Inscrições de trabalhos até 15 de junho (com desconto até 31 de maio)
- Brazilian Studies Association (BRASA) - PUC-Rio, 25 a 28 de julho de 2017; Inscrições de trabalhos até 31 de maio
- Pesquisa – Tendências Políticas entre Evangélicos (Marcha para Jesus). Atividade de campo - Junho de 2017
Coordenação: Leandro Ortunes; Assistência: Patrícia Garcia e Bárbara Mello
- Seminário Temas Contemporâneos em Mídia, Religião e Cultura. Tema: Evangélicos na Política e Ativismo Digital. Promoção: MIRE. Local: UMESP, 28 de agosto, segunda.

Foram também indicados dois websites para pesquisa e intercâmbio:
- o Blog Mídia, Religião e Sociedade, editado pelo doutorando da UNISINOS Marco Túlio de Souza.
- o website do pesquisador australiano recentemente aposentado Peter Horsfield, uma referência internacional nos estudos em Mídia, Religião e Cultura.

A próxima reunião do MIRE, 20 de junho, terça-feira, das 14h às 17h, terá um novo Colóquio de Apresentação de Pesquisas:
- Ricardo Alvarenga (dissertação de mestrado defendida em 2016)
- Magali Cunha (estágio pós-doutoral, 2016)


Fotos: Patrícia Machado

Eclesiocom 2017 tem inscrições abertas até 15 de junho

Nesta 12ª edição do evento, na PUC-Campinas (17 de agosto), a Eclesiocom contará com a contribuição da Profa. Dra. Joana Puntel, que fará conferência sobre o tema "Novos paradigmas da comunicação e sua incidência na transmissão e vivência da fé" e o Prof. Jorge Miklos (UNIP/MIRE) fará os comentários. Saiba mais sobre a programação e sobre como se inscrever aqui. As inscrições de trabalhos (resumos expandidos) vão até 15 de junho.

Ativismo digital evangélico é tema de livro sobre pesquisa ligada ao MIRE

A relação entre religião e política é um fenômeno que marca o momento atual da política brasileira, em que os evangélicos se colocam com destaque na arena como um bloco organicamente articulado: não são mais “os crentes” ou os grupos fechados de outrora. A separação social, “do mundo”, deixa de ser um valor evangélico da tradição fundamentalista-puritana: eles são hoje um grupo que desenvolve a cultura “da vida normal” combinada com a religião com presença nas mídias, artistas e celebridades, moda própria, inserção no mundo do mercado e do entretenimento. Além disso, este segmento se vê fortalecido como parcela social que tem suas próprias reivindicações e interesses e pode eleger seus próprios representantes para os espaços de poder público. Qual o lugar das mídias neste processo de afirmação? Entre os muitos olhares, percebe-se que o ativismo digital evangélico emerge como um novo fenômeno neste processo e o livro “Do púlpito às mídias sociais. Evangélicos na política e ativismo digital”, da Profa. Magali do Nascimento Cunha, é uma contribuição para a sua avaliação.


A obra, dividida em três capítulos, resulta da pesquisa empreendia pela autora, durante estágio pós-doutoral realizado na Universidade Federal da Bahia, em 2016. O campo de estudos privilegia a relação entre mídia, religião e política sob a ótica das transformações culturais que têm sido vivenciadas pelo segmento evangélico, em especial a partir dos anos 1990. O primeiro capítulo traz uma visão dos estudos que analisam a presença dos evangélicos no Brasil desde a chegada dos primeiros missionários no século 19 e a construção da identidade do grupo em meio ao extenso mosaico formado pela diversidade de dinâmicas religiosas no País. A relação com as mídias e com a política é destaque nesta parte do texto, que procura apresentar uma síntese das principais abordagens das diferentes ciências que se debruçam sobre o fenômeno, incluindo trabalhos da própria autora. Já o segundo capítulo apresenta a relação entre mídia, religião e política na segunda década do século 21, com ênfase na atuação da Bancada Evangélica no Congresso Nacional e na crescente presença de lideranças do segmento religioso em debates e campanhas frente às pautas políticas do seu interesse. O terceiro capítulo fecha o livro com a novidade que emerge dos estudos deste tema: a emergência do ativismo digital evangélico. Por meio de pesquisa no Facebook e no Twitter, duas das mais populares mídias sociais acessadas por brasileiros, a autora levantou os perfis mais atuantes entre ativistas digitais evangélicos e traçou um quadro com suas características em termos de influência nas mídias.

O livro acaba de ser publicado pela Editora Prismas (Coleção Mídia, Religião e Cultura) e será lançado em dois eventos: no Poscom-UMESP em 28 de agosto, e no Centro de Formação e Pesquisa do SESC, em 27 de setembro. Um pré-lançamento acontece no próximo 19 de junho, com transmissão ao vivo pelo Facebook. 



segunda-feira, 15 de maio de 2017

Reunião do MIRE acontece neste 17 de maio

Um Colóquio de Partilha de Pesquisas será a essência da reunião do MIRE nesta quarta, 17 de maio. O colóquio será coordenado pelo colega Luis Erlin com a seguinte programação:

14h10 – Abertura e anúncios – Profa. Magali Cunha
14h30 – Exposição: Ms. Patrícia Garcia Costa - Novos formadores de opinião: A geração e garotas Youtubers evangélicas e sua influência no processo de decisão dos espectadores (Projeto de Doutorado, 2017)
15h – Interação
15h15 – Exposição: Dr. Leandro de Paula - Entre a saúde e o risco: a experiência da fé segundo a mídia secular no Brasil e nos EUA (2001-2013) (Tese de Doutorado, UFRJ, 2016)
15h45 – Interação
16h – Intervalo
16h15 – Exposição: Dr. Luis Henrique Marques - Marketing católico: leitura crítica a partir do conceito de midiatização (Estágio Pós-Doutoral, 2016)
16h45 – Interação
17h – Encerramento

A reunião será transmitida ao vivo com possibilidade de interação. O link para acesso é https://youtu.be/j6VfT9GGvao.

Blog Mídia, Religião e Sociedade traz entrevista com a Profa. Magali Cunha sobre a histórica relação dos evangélicos com as mídias

O blog "Mídia, Religião e Sociedade" teve origem no início de 2013 a partir de uma disciplina sobre mídia e religião ministrada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) pelo então mestrando em Comunicação, hoje doutorando na UNISINOS Marco Túlio de Sousa. Um grupo no Facebook foi criado com o nome“Mídia, Religião e Poder” a fim de suscitar debates entre os alunos e compartilhar conteúdos sobre a temática. Posteriormente, o grupo se expandiu para além dos interesses mais imediatos da disciplina contando com a adesão de outros pesquisadores. O blog foi então criado em 2015 com o propósito de dar mais visibilidade ao tema e servir de plataforma para divulgação das pesquisas sobre o assunto. O blog é de propriedade de Marco Túlio de Sousa e também possui uma página no facebook onde os novos conteúdos são divulgados.

No relançamento do blog neste maio de 2017 é publicada a primeira parte de uma entrevista exclusiva, ampla, com a docente coordenadora do MIRE Profa. Magali do Nascimento Cunha.
A docente falou sobre a mudança do perfil dos evangélicos no Brasil a partir da relação que este grupo construiu historicamente com a mídia. Nesta primeira parte da entrevista, ela trata da emergência e transformação da “cultura gospel” e da recente mudança de posição das Organizações Globo sobre os evangélicos. Se antes prevalecia uma postura de combate, atualmente se consolida cada vez mais uma tentativa aproximação visando um novo nicho de mercado. Na segunda parte da entrevista, a ser publicada em alguns dias, Magali Cunha fala de sua pesquisa mais recente, que trata da complexa relação entre evangélicos, mídia e política. Veja aqui.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Memória e Religião foi o tema da reunião do MIRE deste 12 de abril (parte das Jornadas: Comunicação, Cultura e Memória)

A reunião do MIRE que aconteceu neste 12 de abril, foi parte das Jornadas: Comunicação, Cultura e Memória, promovidas pelos Programas de Pós-Graduação em Comunicação da Metodista, da Universidade de São Caetano do Sul, da Universidade Paulista e da Escola Superior de Propaganda e Marketing. 

"Memória e Religião" foi o tema da última aula da segunda etapa das Jornadas iniciadas em 2016. Naquele momento três aulas aconteceram (duas na ESPM e uma na UNIP) e em 2017 foram foi realizada a segunda etapa, com duas aulas, uma na USCS em 11 de abril ("Memória e Narrativas", com a Profa. Priscila Perazzo) e esta do dia 12 de abril, em parceria com o MIRE, Memória e Religião.

A aula foi aberta com uma exposição introdutória da Profa. Magali Cunha (foto abaixo ao centro), com uma revisão teórica da articulação entre memória, comunicação e religião (veja aqui a apresentação em PPT e o link para o PDF do principal livro de Jan Assmann). A partir dela, foram apresentadas duas pesquisas relacionadas à memória da ditadura civil-militar entre os evangélicos brasileiros: um caso da religião atuando na preservação das memórias subterrâneas e outro da religião atuando com silenciamento dessas memórias.

 


A primeira pesquisa foi apresentada pela Dra. Ana Caroline Castro (foto acima à esq.), a memória do Projeto Brasil Nunca Mais, que resultou na produção do documentário Coratio - 30 anos de Brasil Nunca Mais, que ela realizou junto com Gabriel Mitani (assista aqui). A segunda foi exposta pelo Ms. Marcelo Ramiro (foto acima à dir.) e é o resultado da dissertação de Mestrado defendida no Poscom/Metodista em março passado, e trata do silenciamento da memória da ditadura no jornal Expositor Cristão da Igreja Metodista (veja o conteúdo apresentado aqui).

Participantes do MIRE e pesquisadores/as interessados/as na temática, juntamente com a Profa. Priscila Perazzo, da USCS, estiveram presentes no evento, que contou com a participação on-line de 12 pessoas pelo Hangout e mais 21 pessoas pela transmissão ao vivo do Facebook (que teve até o fechamento desta matéria 1.305 visualizações). Toda a transmissão está gravada e pode ser assistida no canal do Youtube do MIRE (assista aqui) ou no Facebook (assista aqui). 


A reunião terminou com festa: o grupo celebrou o aniversário da coordenadora do MIRE Profa. Magali Cunha com "Parabéns pra você" e bolo também transmitidos ao vivo.



A próxima reunião do MIRE acontecerá em 17 de maio, quarta, das 14 às 17h. Reserve na agenda.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Reunião de abril será parte das Jornadas: Comunicação, Memória e Cultura



A próxima reunião do MIRE acontecerá no dia 12 de abril, que será parte das Jornadas: Comunicação, Cultura e Memória, promovidas pelos Programas de Pós-Graduação em Comunicação da Metodista, da Universidade de São Caetano do Sul, da Universidade Paulista e da Escola Superior de Propaganda e Marketing.


É a segunda etapa das Jornadas iniciadas em 2016, em que três aulas aconteceram (duas na ESPM e uma na UNIP) e agora teremos a segunda etapa, com duas aulas, uma na USCS em 11 de abril (Memória e Narrativas) e a outra no 12 de abril, em parceria com o MIRE, Memória e Religião. Se alguém puder estar nos dois dias 11 e 12/4, será excelente. Caso não, nossa reunião do MIRE será articulada com as Jornadas.

Este evento oferece certificação mas para isto é preciso se inscrever pelo email: sidnei.chiari@uscs.edu.br, indicando nome, email e instituição a que está vinculado/a.

Programa da reunião/Jornadas do dia 12/4:

14h – Abertura
14h10 - Memória, comunicação e religião – bases teóricas – Magali Cunha
14h50 – O caso Brasil Nunca Mais – Ana Castro
15h30 – O caso Expositor Cristão – Marcelo Ramiro
16h10 – Intervalo
16h25 – Questões e síntese


Integrante do MIRE defende Dissertação de Mestrado

O integrante do MIRE Marcelo Ramiro defendeu, em 29 de março, a Dissertação de Mestrado "Mídia Cristã e Ditadura Civil-Militar: Memória dos Silenciamentos no Jornal Expositor Cristão da Igreja Metodista”. O trabalho foi orientado pela profa. Magali Cunha e a banca foi formada pelas profas Priscila Perazzo (USCS) e Elizabeth Gonçalves (Metodista).
Marcelo Ramiro obteve aprovação, com a recomendação da banca de que o conteúdo, relevante, deve ser tornado público. Ele já começa a realizar isto com a apresentação do trabalho na reunião do MIRE que será integrada ás Jornadas: Comunicação, Cultura e Memória, em 12 de abril.


MIRE publica livro e é base para coleção de editora


Em 2016 foi lançado o livro do MIRE, "Mídia, Religião e Cultura. Percepções e tendências em perspectiva global", organizado pelas Profas. Karina Bellotti e Magali Cunha, pela Editora Prismas.

A novidade é que a editora propôs a criação de uma Coleção Mídia, Religião e Cultura, dirigida pela coordenadora do MIRE Profa, Magali Cunha. Saiba mais sobre a coleção e a comissão editorial aqui.

A editora propôs que o primeiro livro da coleção seja o resultado da pesquisa do estágio pós-doutoral da profa. Magali Cunha, realizado na Universidade Federal da Bahia, sobre o ativismo digital evangélico. Os demais poderão ser encaminhados à avaliação da comissão editorial.

Reunião de março debateu pesquisas e possibilidades futuras para estudos em Mídia e Religião


A reunião do MIRE realizada em março passado, abriu as atividades do ano com o estudo do texto "Religião e Mídia: notas sobre pesquisas e direções futuras para um estudo interdisciplinar", de Jeremy Stolow (Universidade de Concordia, Montreal, Canadá). A reflexão foi conduzida por Patrícia Machado e Ricardo Alvarenga. Veja aqui os slides com os tópicos enfatizados.
Ricardo Alvarenga (à esq) e Patrícia Machado (ao centro) conduziram
a reflexão do texto de Jeremy Stolow
Além da reflexão do texto, o grupo tratou dos eventos do calendário acadêmico que podem participação ativa do MIRE. Recordou, ainda, o lançamento do livro do GP em 2016, "Mídia, Religião e Cultura. Percepções e tendências em perspectiva global", organizado pelas Profas. Karina Bellotti e Magali Cunha, pela Editora Prismas. A novidade é que a editora propôs a criação de uma Coleção Mídia, Religião e Cultura, dirigida pela coordenadora do MIRE Profa, Magali Cunha. Na proposta, a abertura da coleção será a publicação do livro resultante da pesquisa do estágio pós-doutoral da profa, Magali Cunha, realizado na Universidade Federal da Bahia, sobre o ativismo digital evangélico. Saiba mais sobre a coleção e a comissão editorial aqui.

Outra novidade foi a tradicional transmissão da reunião para participantes on-line pelo Hangout. Além da transmissão ao vivo, a reunião agora fica gravada e pode ser assistida posteriormente por quem não pode participar e por quem quiser revisar os conteúdos. Patrícia Machado organizou o processo. O vídeo editado com o conteúdo de toda a reunião de março pode ser acessado aqui. Clique aqui para acessar o canal do MIRE (Grupo de Pesquisa MIRE) no Youtube.

As próximas reuniões no primeiro semestre de 2017 acontecerão em 12 de abril, 17 de maio e 21 de junho, quartas-feiras, das 14 às 17h.